terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

As artes de Rui Jordão

O antigo internacional português Rui Jordão, quinto maior goleador de sempre da história do Sporting, com 187 golos marcados, mudou de vida desde que abandonou o futebol. No último sábado, Jordão, que é natural de Angola, onde nasceu em 09-08-1952, foi capa do suplemento "DN Gente", do "Diário de Notícias", que nos mostrou a faceta de pintor do antigo futebolista leonino - que, em 1989, terminou a sua carreira no Vitória de Setúbal, depois de ter sido mal dispensado pelo Sporting, cuja camisola vestiu durante nove temporadas. Revelado ao serviço do Benfica, a partir de 1970, e depois de uma aventura de um ano no futebol espanhol, Jordão foi uma das apostas da presidência de João Rocha, na segunda metade dos anos setenta, entrando em Alvalade para fazer com Manuel Fernandes uma das duplas mais temíveis da história do futebol português. A presença no Europeu de França, em 1984, foi o seu grande momento internacional, tendo os seus golos proporcionado emoções muito fortes naquela mítica meia-final entre Portugal e França, que seria decidida por Michele Platini nos minutos finais de um prolongamento dramático.
Hoje, Rui Jordão está afastado do futebol. Aliás, detesta que lhe falem de futebol. E também evita jornalistas. Tornou-se pintor, manifestando "uma apetência pelas artes" que confessa ter existido desde que se conhece. Fez o curso de Pintura e Desenho na Sociedade Nacional de Belas-Artes, em Lisboa e frequentou o curso de Modelagem, ministrado pelo escultor Sebastião Quintino, e o atelier livre do pintor Jaime Silva. Actualmente, as suas artes plásticas estão expostas no Museu do Vinho da Bairrada, na Anadia, até 9 de Março.
Enquanto futebolista, Jordão era um avançado felino e elegante. Driblava, assistia e finalizava. Ele e Manuel Fernandes completavam-se. Comemorava os golos a correr sem sair do lugar, elevando o braço com o dedo indicador bem levantado. O antigo treinador Fernando Mendes, campeão pelo Sporting em 1980, considera que Jordão “é um jogador de sempre”.
No Saragoça, não foi feliz, por más relações com o argentino Arrua, então vedeta da equipa espanhola. Voltaria à glória no Sporting, onde só não foi mais vezes o melhor marcador devido a três lesões gravíssimas: rotura de ligamentos no joelho e duas pernas partidas. Acabou a jogar pelo V. Setúbal, ao serviço do qual ainda voltou à Selecção, tornando-se no segundo jogador português com a mais longa carreira de quinas ao peito (16 anos entre a primeira e a última de 43 internacionalizações). Ao todo, ganhou seis campeonatos nacionais, três Taças de Portugal e uma Supertaça, marcando um total de 215 golos na I Divisão e 15 na Selecção, pela qual foi terceiro classificado no Europeu de 1984.

14 comentários:

Anti-Paulo bento disse...

Jorge Jesus, JÁ!!!

Anónimo disse...

Que boa lembrança trazida aqui, L. Estrela!

Quem o viu jogar, palavras serão poucas para descrever a maravilha expressa que era vê-lo correr sem sair do lugar, após a obtenção de um golo, braço estendido ao ar, abraçado de seguida pelos companheiros...

A dupla que fez com M.fernandes é por certo, e infelizmente, irrepetível. Com efeito, mais de 400 golos conjuntos durante 9 anos, hoje seria impossível.
A alegria de marcarem, quer um ou outro, e festejarem como fosse da sua autoria o golo, disse-o M.Fernandes - o importante era o Sporting marcar golos - reflete bem o carácter de ambos e o amor à camisola que sentiam.

Pena que esta dupla não tivesse sido reproduzida na selecção (não me lembro de os ter vistos jogar juntos na dita). Talvez devido à chamada "clubite aguda", a selecção não aproveitou o enorme potencial, pois jogavam e trocavam a bola de "olhos fechados".

Uma última nota: em 1984, Jordão estava, de facto, em grande forma. Antes da ida ao Europeu de França, a selecção efectuou um jogo de preparação com a antiga Jugoslávia, no Estádio Nacional, que tive o privilégio de assistir. Perdemos por 2-3, tendo marcado os golos portugueses...Jordão.

Abraço,
Mário

Anónimo disse...

Fora do tema e se me for permitido, direi o seguinte:

Hoje, passadas 48 horas dos nossos brilhantes e categóricos títulos de atletismo (de Pista Coberta, masculinos e femininos), nem uma palavra dos órgãos de comunicação social, nomeadamente os desportivos.
É óbvio que já não falarão!
Mas indigno-me com a seguinte falácia:

Argumento 1 : o atletismo não é popular nas notícias (desportivas), logo nao noticiaram os títulos.

Arg. 2 : Ao final da tarde de Domingo, quando já se conheciam as vitórias do SCP, o jornal "Record", pelas 19h.. noticia que o atleta (do slb) Nélson Évora obteve o recorde Nacional de tritlo salto, omitindo qualquer alusão às nossas vitórias.(ocorridas na mesma prova - o campeonato nacional)
"A Bola" e "OJOGO" não dão notícia alguma.

Arg. 3 : "OJOGO", na 2ªFeira, no meio de um artigo onde se apregoa o brilhantimo de Évora (que não está em causa o seu valor de atleta, note-se!) lá menciona, escondidos no conteúdo do texto, os títulos.

Arg. 4 : Os títulos do SCP já eram esperados e o RN de Évora ganhou relevância, afinal um recorde sempre é um recorde, daí a diferença de tratamento. (argumento usado pelo jornal "OJOGO", não meu. Ou seja, o próprio jornal reconhece a discriminação e ainda se dá ao trabalho de a explicar. Sintomático! )

Arg. 5 : No fim-de-Semana anterior atletas do Sporting bateram 3 recordes nacionais, foi este facto notícia ?
(A esta altura já devem ter percebido aonde quero chegar...)

Arg. 6 : 2ªFeira - Voltando à falta de visibilidade do atletismo e da atenção a ele dada pelo público e pela imprensa...eis que "Record" e "A Bola" dão logo pela manhã uma notícia de atletismo...
...a retirada das competições de Maurice Green...
(que relevância tem este facto comparado com...!!!)

Arg. 7 : 3ªFeira (hoje) - novas notícias de atletismo nos mesmos jornais...
...o regresso às competições de Dwain Chambers...
...Sara...muda de treinador...
...dos Títulos do Sporting, NADA!

Conclusão: Ao contrário do que muitos julgam, o Atletismo sempre é notícia.
Não é notícia o atletismo do...Sporting !!

Ou por outras palavras, andam todos a gozar, e há muito tempo, com o nosso Clube!

Obrigado,
Mário

gavazzo disse...

Rui Manuel Trindade Jordão:

Um grande Homem, um grande Amigo e um verdadeiro HEROI do Sporting Clube de Portugal!

Jogador fino, tecnicista, forte, atlético, lutador, destemido e talhado para os grandes momentos.

Que jeito nos dava, nos dias de hoje.

Homem recto, de carácter nobre, um bom Pai e possuidor de uma sensililidade e de uma classe rara nos tempos que correm.

Homens como ele, fazem muita falta ao Sporting.

VIVA O SPORTING E UM BEM HAJA AO JORDÃO!

Anónimo disse...

Desculpa Jordão aproveitar este post que realça o teu grande nome,mas quero deixar aqui vincado que a partir da saída de Carlos Freitas,o jornal Record,com o esbirro e assalariado dele Bernardo Ribeiro não dará qualquer notícia boa do nosso clube.Sportinguistas vamos expulsar de Alvalade este tipo,quando ele entrar no estádio.

Henrique disse...

Mário;
o Grande Enorme Gigante Mário Moniz Pereira há muitos anos que vem dizendo...
...País com futebolite aguda!!!
É o desporto olímpico por excelência... e noja-me que esse gajo com apelido de capital de distrito, leve a que se fale no atletismo... antes dele não havia ninguém?!?!?!? Agora com ele, é pistas cobertas prometidas, é comunicaçõa social... tudo em grande... ele salta em Janeiro, aqui d´el rei, pois é o salto Nº 1 do Mundo... a Naide salta... alguém tem ouvido dizer o ranking dos saltos dela?!?!? Também são os melhores de 2008! Mas isso não interessa... a época está no início.... para o lampião, é que já está no fim, daí os resultados do gajo serem excepcionais!!!!

Henrique disse...

O que me agrada... é que os Ruis, as Naides, os Arnaldos, os Francis... fazem o que eu gosto... dão títulos (Pista Coberta e Ar Livre) ao Sporting Clube de Portugal! O resto... é palheta!!!!!!!!!!

Henrique disse...

Ah Mário, dscpa responder-te, ou melhor, complementarizar, aqui neste Blog, o que já "palhetámos" num outro, sobre o tema Atletismo Leonino... eu quando disse que nos escaparam 2 títulos masculinos e 1 feminino (os primeiros em ambos) na Pista Coberta e que na altura era o tempo dos títulos europeus... referia-me, claro, à fortíssima equipa de corta mato que tínhamos então... aí, era a nossa aposta... dps, optámos por a desmantelar e apostar na Pista, com grandes resultados a nível europeu, pois inúmeros pódios têm sucedido e aquele título em 2000... e o vice título o ano passado... e este ano? O "senhor Velho" promete " a melhor equipa " de sempre... e de facto o Luch é mesmo a Selecção Russa... ainda para mais, nos últimos anos, têm-se reforçado nos States! Foooogggoooooooooooooooooo............!!!!

Capicua101 disse...

Que saudades da minha infancia...Quando o futebol era pura magia... Jordão, Manuel Fernandes, António Oliveira, Carlos Xavier, Mario Jorge, Meszaros... que equipe aquela de 1982...Que saudades de quando era puto e passava as tardes com os ouvidos colados ao rádio...e a imaginar aquelas jogadas relatadas com tanto entusiasmo...E o esforço que fazia para não adormecer sem antes ver os golos do Jordão ou do Manel, ou dos dois no "domingo desportivo"... Foi naquele tempo que me fiz Sportinguista ferrenho para o resto da vida. Bons e inesquecíveis tempos de infancia!

SL!

Anónimo disse...

Henrique,
Obrigado pelas palavras de apoio, aqui e noutro blogue como bem disse.
Mas, realmente é revoltante a dualidade de critérios usada pela comunicação quando se trata do Nosso Grande Clube vs. slbezinho.
Veja bem que até nos tiram dois títulos, dizendo se tratarem do 12º e 13º, em vez dos correctos 13º e 14º!
Com o Judo (Telma) e o Triatlo (Vanessa), é a mesma coisa: O país de repente descobriu essas modalidades outrora quase ocultas!
Claro, são daquele clube...(a apenas pouco tempo, diga-se...)

Fazendo justiça ao Tópico, se reparar, comentei em primeiro lugar o Grande Jordão (2º comentário).
Digo isto, para não me acusarem de só falar de atletismo!

Saudações,
Mário

Anónimo disse...

Ainda bem que não estou sozinho nesta "cruzada" pelas modalidades do nosso Clube.
(não foram elas grandes responsáveis por muitos de nós sermos deste clube e não de outro?)
Obrigado, Henrique e todos aqueles que as apoiam .
Sem querer ser chato e sabendo que fujo ao Tópico-Jordão, permitam-me que vos deixe este texto da minha autoria:

Joaquim Agostinho, o melhor ciclista português de todos os tempos.
Quem quiser pesquisar em "agostinho" ou "jean gribaldy" (YouTube), faça favor. A chegada apoteótica no final de uma volta a Portugal ao nosso lindo estádio José Alvalade (que possuía à época um velódromo, honrando a explêndida equipa de ciclismo do Sporting - mais tarde daria lugar à pista de "tartan"), com o estádio cheio, aplaudindo o seu herói, só duas palavras: espectacular e comovente!
Jean Gribaldy (seu patrono no "tour" e mecenas do ciclismo francês) veio assistir, contrariado, pois achava que Agostinho desperdiçava-se numa prova como a nossa. Saiu do estádio rendido à homenagem que acabara de assistir ao seu ciclista preferido. Aclamação única e irrepetível a um ciclista, pois nenhum grande estádio europeu possui um velódromo.
Em números: 13(!) participações no "tour", dois 3ºlugares, dois 5º, um 6º, três 8º, entre outros. Pior classificação: um 15ºlugar. Uma desistência. Notável! É uma figura lendária na história do "tour".
Em 1984 convence João Rocha a reactivar o ciclismo no SCP e com um grupo de bons ciclistas, entre os quais, Marco Chagas, forma a equipa com a qual pretende cumprir o sonho de voltar a competir na grande prova francesa com as cores da equipa do seu coração (já o fizera em 1975, ano em que a equipa por dificuldades financeiras e políticas que o país atravessava - a volta a Portugal desse ano nem se realizaria -, acabaria por ser extinta). Não conseguiu concretizá-lo. Morreu em consequência dum estúpido acidente, com a camisola amarela vestida - que melhor epílogo para um campeão?
Semanas mais tarde, O Sporting correria no "tour", órfão do seu chefe-de-fila.
Paulo Ferreira venceria uma etapa após longa fuga - cortaria a meta a chorar - o mundo assistia a um ciclista a vencer uma etapa vestido de listas horizontais verde-brancas e calção preto! A homenagem possível que o ciclista e a equipa do Sporting prestava postumamente ao seu grande campeão.
Duas participações das nossas camisolas na maior prova velocipédica mundial; Única equipa portuguesa até aos dias de hoje a lá estar presente!

P.S.: 2ºlugar na "vuelta" em 1974 a 11 segundos(!) de Luis Ocaña, após o contra-relógio final. Em surdina falou-se em manipulação de cronometragens...nunca provada. O próprio Ocaña julgava ter perdido a prova para Agostinho, só mais tarde declarado vencedor, após um iato de tempo. Tempo suficiente para a dúvida existir.
Agostinho como Homem de fibra que era, não mais correria na principal prova espanhola.

Carlos Lopes, Los Angeles, 1984 - Campeão olímpico! A primeira medalha de ouro para Portugal nos JO!
Anos antes, em 1976, campeão mundial de corta-mato (o 1º de 3 títulos) e medalha de prata na prova de 10.000 m nos JO Montréal-76, apenas batido no "sprint" final por um finlandês, Lasse Viren (que ganhara também os 5.000 m), até aí desconhecido e que depois desses Jogos voltaria ao anonimato. Desconfiou-se de "doping", nada se provou. Anos mais tarde soube-se que recebera tranfussões sanguíneas e oxigénio antes das provas, métodos esses, tão inovadores como desconhecidos para as autoridades à data dos JO. O perjúrio, esse, já estava feito!

Estocolmo, 2 de Julho de 1984, jornada épica para o atletismo do SCP e de Portugal. Fernando Mamede, sem lebres, sozinho na frente, num autêntico contra-relógio, faz a corrida da sua vida, 25 voltas a "voar", vence categoricamente! Recorde do Mundo dos 10.000 m! (última volta com um tempo ao nível de um quatrocentista, após 9600 m, incrível !) Em 2ºlugar...Carlos Lopes...ambos cortam a meta com tempos cronometrados abaixo do anterior recorde!! Dois atletas portugueses, equipados à Sporting deslumbram o mundo. Extraordinário!!! Que felicidade que senti em ser do SPORTING!

P.S: O Recorde Mundial duraria 5 anos! Manteve-se Rec. Europeu durante 15 anos! Até ao dia em que um africano, naturalizado "europeu", por fim, o bateu. Elucidativo!

Hóquei em Patins - Sporting Campeão Europeu em 1977 (1ª equipa não-espanhola a consegui-lo)
Este "cinco" patinado - Ramalhete, Rendeiro, Sobrinho, Livramento e "Chana" - verdadeiro "dream team" - era igualmente o "cinco-base" da selecção nacional !!
Equipa que sagrar-se-ia Campeã Europeia nesse mesmo ano de 77. Só podia! Os melhores do mundo, sem dúvida!
Entre vários títulos, de destacar, o tetracampeonato 1975-78; As 3 Taças das Taças: 1981,1985 e 1991 (este o último título conquistado); a taça CERS em 1984, etc.
Depois o definhar da equipa...por fim, o fecho da secção, juntamente com outras modalidades...inacreditável!
Que saudades que tenho de ver o Sporting a competir em Hoquéi!

Ainda, no ano de 1977, a nossa equipa vence o 1º dos 14(!) títulos de Campeã Europeia de Corta-Mato! Brilhante!

E, chegamos ao futebol...ops...isso daria outra longa história...fico por aqui, por agora!


Não pretendi, com a minha posta, ser presunçoso ou dar lições de história ou sportinguismo a ninguém, apenas avivar a memória de que o nosso clube não é só futebol (que adoro) e que em tempos fomos a maior potência desportiva nacional!

Viva o SPORTING !
Mário

Henrique disse...

Mário; vamos num mano a mano Leonino... um destes dias, esta gente boa do Leão da Estrela, tem ue fazer um post só para a malta bombar cenas além do futebol... h. patins - em 84, ao ganhar-se a CERS, fomos a 1ª equipa na Europa a juntar as 3 taças europeias. 1977 - qual o clube português (e mesmo na Europa, não há mtos!) que foi CAMPEÃO EUROPEU em duas modalidades diferentes?!?!?! Já não falo dos anos em que juntámos uma taça europeia de hóquei, ao título europeu de corta mato... em 77, foram mesmo duas taças de campeões europeus, em duas modalidades! 1984 - a semana de ouro, do grande SCP... 2 atletas recordistas mundiais nos 10 il metros, a vitória na Taça CERS do hóquei, a vitória do Paulo Ferreira na Volta à França... um clube... uma camisola... um símbolo... palavras para quê, meus amigos!?!?!?!??!?!?!

Anónimo disse...

Henrique,
Boa ideia, porque não?
Aliás, já pensei criar, com a ajuda de alguém, um blogue dedicado às modalidades do SCP, sem menosprezo para o futebol. (Apenas que este já tem imensos espaços de discussão que lhe são dedicados)
Embora, reconheço que neste momento não possuo conhecimentos informáticos para tal.
Ou então, como disseste, criar aqui no LE, com a devida autorização e apoio, uma secção para as modalidades.
A quem estiver interessado em pegar na ideia, força!
No que me for possível, contem comigo!

Mário

LEÃO DA ESTRELA disse...

Amigos Mário e Henrique: sobre a vossa ideia das MODALIDADES, contactem o LEÃO DA ESTRELA por e-mail: leaodaestrela@gmail.com. Obrigado!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...